Apanhámos as Cebolas…

Quando no passado dia 07/11/2011  plantámos cebolas, não fazíamos ideia se ia correr bem ou não.

Mas a verdade é que ao longo destes meses, fomos vendo as mesmas a desenvolverem-se cada vez mais e ontem foi então o grande dia de as apanhar 🙂

Não sabemos ao certo se já estaria na altura, mas considerando que parte da rama já começava a secar, achámos que sim.

A ideia era apanha-las e deixar à sombra a secar com a rama grande, para depois fazermos tranças de cebolas para guardar. Mas como sempre a nossa falta de espaço falou mais alto e optámos por cortar a rama deixando perto de 10 cm’s em cada cebola e deixar a secar à sombra.

São perto de 3Kgs de cebola, o que não é muito, mas se considerarmos que foi a primeira vez à experiência que o fizemos, não é nada mau 🙂

E que bom aspecto que elas teem. Agora algumas vamos comendo assim em verdes e as outras vão secando para durarem mais tempo.

Ainda por aqui andamos…

Apesar de os posts terem reduzido, acima de tudo devido à falta de tempo ainda vamos fazendo alguma coisa.

Queria apenas deixar um link para o blog da Faneca que fez pickles com as Couves Flor que apanhamos recentemente 🙂

Vejam aqui Vidadefaneca.com

Esperamos retomar os posts muito em breve. Fiquem por ai.

Ovos das Miudas…

E quando no passado dia 15 trouxemos para casa Mais Três Galinhas e tivemos alguns problemas de integração, a produção de ovos, que era suposto aumentar, reduziu para 0… 🙁

Mas eis que passadas duas semanas, e resolvido o problema de integração, temos uma bela produção média de 2 a 3 ovos por dia.O que nos deixa bastante felizes 🙂

Agora a parte chata é que as nossas galinhas mais recentes devem achar que são coelhos da pascoa, porque teimam em meter os ovos onde calha e pior que isso “enterra-los” ou seja todos os dias se torna uma aventura descobrir os ovos, achamos inclusive que já devem estar la alguns enterrados. Mas pelo menos acabaram-se as guerras internas e as greves e temos ovos 🙂 e que belos ovos são.

Num post mais a frente falaremos de como resolvemos o problema da integração das miúdas.

Nota: Agora só nos falta descobrir qual delas é que anda a meter ovos verdes 😉 sim verdes mesmo.

A Couve Flor…em 2012/05/25

Finalmente apanhámos as couves que tinhamos plantado no inicio do Inverno. So plantámos couve flor porque a experiência de cultivo de couves sem produtos químicos não foi boa. Por isso não quisemos arriscar, mas a realidade é que conseguimos tirar umas belas 6 couves flor que iremos tentar fazer pickles com as cenouras que também temos cultivadas na nossa pequena horta 🙂

E digam lá que não tem bom aspecto? Para o ano somos capazes de tentar novamente 🙂

Nota: À semelhança do que pedimos para as azeitonas, queríamos pedir dicas para fazer pickles deixem ai nos comentários. Obrigado

Suporte para os Tomateiros 2012

O ano passado, tínhamos em mente varias técnicas que queríamos usar para fazer o suporte para os nossos tomateiros, inclusive, quando começamos a investigar, apercebemos-nos que tínhamos plantado os tomateiros num mau sitio, porque iria interferir com o quintal do vizinho e porque apanhavam pouco sol, e a prova disso é que este ano que plantamos num sitio com muito mais sol, eles estão cada vez maiores.

Por isso estava na hora de fazer novamente o suporte para os tomateiros. Voltando um pouco ao ano passado, tentamos varias ideias no papel, e acabamos por usar umas réguas de madeira que lá tínhamos, com uns pregos, fio, e alguma habilidade, e ficou isto:

Que serviu muito bem, mas devido a ser de madeira sem qualquer tratamento, quando chegou o fim da época do tomate e o desmanchámos, foi todo para reciclar.

Este ano já nos estávamos a preparar para fazer novamente em madeira com outros restos que lá tínhamos, quando encontramos as nossas amigas réguas de cantoneira que tinham a medida perfeita para o queríamos 🙂 foi só pegar nos 6 pedaços de régua, alguns parafusos, fio, e zumba, temos o suporte para os tomateiros de 2012:

Ficou um pouco mais a justa do que o que queríamos e os pobres dos pepinos e dos pimenteiros ficaram ali um pouco mal localizados, mas esperemos que se safem também 🙂

Ah, e claro esta estrutura tem a vantagem de ser desmontável, e para o ano voltarmos a usar, a única coisa que teremos que fazer é meter fios novos.

 

Survivorman Off The Grid Movie

Les Stroud e a sua família  decidiram dar um salto de fé e ir viver fora da rede numa propriedade no meio do nada. Este vídeo é o processo da procura, compra, construção e tudo o que é preciso para darem esse salto.

Gostamos muito da realidade que ele fala em que não sai barato, nem é fácil, deixar tudo e dar o salto e comprar todas as coisas necessárias, mas depois de conseguirem é muito bom.

Não é fácil, mas tem o seu que de interesse…

Pela Quinta…em 2012/05/08

Ultimamente temos andado tão ocupados e com tanta coisa para dizer e falar que até nos esquecemos de umas fotos que fomos tirando, e só agora nos lembrámos delas, mas como nunca é tarde para fotos, aqui ficam algumas:

Xuxu

Cebolas

Alhos

Cenouras

Beterraba

Morangos

Tomate

Pepino

Espinafres

Ficam a faltar algumas fotos das miúdas, mas estas são mais difíceis de fotografar por isso fica para breve 😉

Os Cabos do Painel Solar…

Tínhamos duas maneiras de ligar os painéis solares, ou em serie ou em paralelo, sendo que em série ficávamos com um sistema de 24V e em paralelo com um sistema de 12V.

Havia aqui várias coisas a considerar sendo uma delas o comprimento/mm2 do cabo de ligação, porque em DC(corrente continua) as percas pelo cabo são muito grandes, por isso um cabo quando maior o condutor melhor a condutividade.

Conseguimos arranjar um cabo 3G4 ou seja 3 condutores de 4mm2 cada,  o que dá um cabo de 33mm2 alem disso ainda decidimos usar, não um, mas sim dois destes cabos, um para o positivo e outro para o negativo e assim segundo as nossas contas mantivemos a perca abaixo os 3% que recomendam, na realidade com este cabo as percas ficam abaixo dos 0.5%. Claro que isto é num sistema de 12V se fosse em 24V mudava tudo, mas como todo o resto do equipamento que temos é 12V decidimos manter os 12V. Os testes que já fizemos esta com óptimas performances.

Nota: Em serie mantêm-se os Volts e duplicam os Amperes. Em paralelo mantêm-se os Amperes e duplicam os Volts.

Voltando aos cabos do painel, eles de fábrica veem com conectores MC4 que os bons são caros, e já tínhamos lido que os baratos (made in China) não são viáveis e por vezes deixam mesmo de funcionar, decidimos ir pela solução de cortar os terminais e fazer ligações directas as barras de terminais, mas faltou-nos um pormenor, não tínhamos barras para tal tamanho de cabo, lá fomos pela solução à tuga (QUE não recomendamos a fazerem).

Sim, isso mesmo, fita-cola… vergonhoso… Mas nada que depois no dia seguinte e uma visita à loja de artigos de electricidade não resolvesse.

Comprámos uma barra de neutro com 13 terminais.

Cortamos ao meio e ficamos com duas barras de 6 conectores para cada lado, o que dava para o positivo com três condutores do cabo principal e para os dois positivos dos dois painéis, e a mesma quantidade para o negativo do sistema.

Depois ainda mudamos cada um para a sua caixa estanque, uma para o positivo e uma para o negativo, e ainda ficamos com a possibilidade no futuro de adicionar ate mais dois painéis. Para já estamos satisfeitos com estas ligações e é o que irá ficar.

A Base do Painel Solar..está no telhado…

Depois de muito investigarmos e de muito pensarmos, decidimos que o que quer que fizéssemos tinha que cumprir os requisitos que indicamos no post anterior (aqui).

E assim foi, compramos o mais barato possível, e aproveitamos uma solução que existe no Aki que usa partes de plástico para criar formas com tubos de alumínio. Sim, talvez o plástico não seja muito durável, mas pensamos que vai durar tempo suficiente para pagar os painéis e substituirmos por outra coisa qualquer, o importante é meter os painéis no telhado o mais rápido possível e com a maior segurança possível, ou seja para não voarem 😉

Demoramos perto de uma manhã de “corte e costura” e depois mais algumas horas da tarde para colocar no telhado, mas o resultado pensamos que ficou muito bom, e já lá estão os acessórios para uma futura expansão. Tiramos algumas fotos do processo de fabrico, mas sao um pouco chatas por isso fica apenas um mosaico de 4 dessas fotos.

Nao ficou bem centrado como queríamos, mas talvez assim ate esteja melhor. Os painéis teem 4 parafusos cada a prender sendo que são 2 a barra superior e mais 2 a barra inferior, e teem entre eles 2.5cm’s de espaço por motivos de circulação de ar/aquecimento.

O resultado final é este:

Para já estão regulados para 15º que é o ângulo recomendado para esta altura do ano, depois também faremos um post sobre isto do ângulos, e depois no inverno quando passar para os 45º é só substituirmos as barras traseiras de 33cm’s por umas de 110cm’s e está o ângulo feito.

Só ficou a faltar fixar ao talhado com parafusos definitivos porque estamos com um problema de falta de cabo, e por isso tiveram que ficar ali muito em cima da antena, o que implica que a 45º fica a frente da antena cortando assim o sinal de TV, e isso não pode ser, vamos ter que os chegar um pouco mais para o lado.  Aproveitámos para refazer as caixas de conexão do positivo e do negativo separando-as e colocando novos terminais, depois falamos nisso noutro post.

Balanço do Fim de Semana…em 2012/04/28

Este foi mais um daqueles fim de semana em que nos fartamos de fazer coisas, de tal maneira que estamos de rastos.

Então vamos lá:

  • Colocámos a base do painel solar no telhado, falta fixar no local definitivo
  • Começamos a caixa de controle do painel solar no escritório
  • Apanhamos uma beterraba.
  • Começamos a dar novamente antibiótico a Gertrudes, mas desta vez directamente no bico.
  • Compramos aparas novas para o galinheiro
  • Adicionamos palha ao galinheiro

Entre as tarefas rotineiras do fim de semana. 🙂

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...