Os Brocolos…em 2012/03/12

Desta vez, parece que vamos conseguir ter brócolos para comer/desidratar 🙂

Não sabemos se foi do frio que se fez sentir ou se simplesmente por pura sorte, as nossas couves nao ficaram cheias de lagartas como da ultima vez que tentámos. Mas o que é certo é que temos brócolos.

O que nos dá força para continuar a plantar couves…

 

As Meloas… em 2011/08/10

Já a tínhamos apanhado há algum tempo, mas só ontem é que realmente a provámos.

Tal como quase tudo o resto na nossa pequena horta, nunca tinhamos plantado meloas, mas tivemos a agradavél supresa de ter tido direito a duas.

Esta que está na fotografia já foi apanhada a mais de um mês, e na altura apanhámos porque começou a rachar, ainda no pé da planta, por isso achámos que já estava, mas segundo informação da Faneca, que foi quem a comeu, ainda estava um pouco verde. Por isso a que ainda está plantada vamos deixar mais uma semana ou assim, a ver se fica mais madura.

A única coisa que nos deixa um pouco tristes é o facto de só ter dado 2 meloas, e pequeninas. Mas pelo menos ficamos felizes porque deu, e será certamente mais um fruto a tentar novamente para o ano, na época delas 🙂

A comida das Miudas…

Uma das coisas que inicialmente tivemos alguma dificuldade, tal como outras, foi o que dar de comer as galinhas, ou melhor ainda, Como comprar comida para as galinhas!!!

Não é que na nossa zona não existam casas que vendam, alias num raio de 2 kms da nossa casa existem pelo menos 3 casas de rações, e afins. O problema surgia, mais uma vez em conseguir que alguém nos explicasse o que haveríamos de lhes dar. Porque um dos maiores problemas que tivemos no inicio foi, chegar a uma loja dessas e perguntar, O que é que eu dou a 3 galinhas?

Felizmente lá encontramos uma das casas onde trabalham uns srs muito simpaticos que nos explicaram o que dar, e quando dar, e qual a diferença de rações, consoante o “destino” das galinhas, ou seja se for para ovos, dá isto, se for para comer, da aquilo e por ai fora.

E assim fizemos, no inicio dávamos apenas a ração (granulado) e depois quando elas fizeram 3 a 4 meses introduzimos uma mistura de sementes, que elas adoram.Por isso agora estamos a fazer uma mistura de 5kgs de granulado para galinhas poedeira com 5kg de sementes variadas.

O problema das sementes é que elas esgravatam a comida toda a procura das sementes e normalmente a ração vai para fora do “tacho” por isso é importante ter cuidado e nao ter a tentação de dar mais so porque o comedouro esta vazio, é preciso olhar a volta a ver se elas nao andaram a espalhar a ração, se sim entao adiciona-se apenas um pouco ao comedouro e eventualmente elas comem o que tinham separado. Também é preciso ter cuidado porque as galinhas enquanto tiverem comida comem e comem e comem, e não convem elas ficarem demasiado gordas porque depois não conseguem por ovos.

Pelos intermédios, ou seja de vez em quando damos-lhes ervas que apanhamos do quintal ou quando cortamos a relva aquelas pontas mais compridas elas também adoram comer. Quando as deixamos andar pelo quintal é o delírio 🙂 comem tudo o que seja verde pelo caminho. E damos tambem pão humido, que elas também gostam muito.

E normalmente de dois em dois dias espalhamos aluma parte da comida pelo galinheiro assim tipo a semear a comida, para que elas se entretenham a esgravatar a terra a procura de comida e assim ainda ajudam a fazer o composto mais rapidamente.

Como veem é fácil de alimentar galinhas não é? Ainda existem outros truques como por exemplo, casca de ostra, milho partido, etc etc, mas com esta mistura isso fica mais fácil.

Balanço do Fim de Semana… 2011/06/18

Foi um fim de semana muito curto, este que passou. Não tivemos tempo quase de fazer nada, uma vez que no sábado tínhamos um casamento de uns amigos.  Mesmo assim ainda conseguimos ir comprar a comida para as miúdas e para os fanecos no sábado de manhã. E claro como sempre não podíamos deixar de trocar algumas ideias com as pessoas que lá estavam a espera também para comprar comida.

Mas, ainda conseguimos alguns projectos:

  • Fizemos o Nosso Pot Maker usando o  Torno de Madeira.
  • Fomos apanhar “canas” para os nossos feijoeiros.
  • Fizemos pequenos vasos de jornal.
  • Apanhámos morangos.
  • Começamos a planear a expansão do galinheiro, não vamos comprar mais galinhas, vamos apenas dar mais espaço a estas.
  • Compramos uma nova peça para tentarmos fazer um novo bebedouro para as miúdas.
  • Como não podia deixar de ser, fizemos mais tabuleiros de trigo
  • Começamos a planear uma nova secção de plantação/estufa.

E infelizmente não deu para mais. Queríamos fazer muitas mais coisas, mas devido à enorme falta de tempo, simplesmente não deu.

Ainda temos alguns posts atrasados, que queremos ver se esta semana conseguimos por em dia, mas não deve ser fácil. Entretanto esta semana já devemos começar a construção da fase 2 do galinheiro.

Couves e Pao… para as Galinhas…

Infelizmente, para nós mas felizmente para as nossas miúdas, as couves que plantámos não se safaram.

Não temos a certeza de que não se safaram se por falta de terra melhor, se por falta de nutrientes na terra ou se simplesmente porque as lagartas comeram as couves quase todas, mas a realidade é que não iam a lado nenhum e estavam a oucupar espaço precioso na nossa SFG2, por isso foram removidas 🙁

Mas como na Quinta Faneca nada de vegetais se deita fora, mais que não seja vai para o composto, decidimos experimentar algo que já nos tinham falado, que era dar as couves “migadas” ás galinhas, com pão. E este domingo assim foi, aproveitamos que também tínhamos lá um resto de pão que já não estava bom para comermos e pumba, galinhas com ele…

A receita é simples:

  • Depois de apanharmos todas as couves, e removidas as folhas que se aproveitavam, cortámos-las  tipo caldo verde.
  • Pega-se no pão e parte-se aos bocados e junta-se na mistura
  • Humedece-se toda a mistura, sim porque elas não gostam do pão e das couves secas. 😉

E já está, depois é só meter dentro do galinheiro e vê-las a principio desconfiadas porque é sempre assim quando lhes metemos comidas novas mas depois a devorarem aquilo como se não houvesse amanhã…e com a vantagem que o que elas não comem e fica no chão faz composto naturalmente.

Nota: Estamos muito zangados com uma das galinhas, que ainda não conseguimos descobrir qual,  que nos comeu ontem metade da pequena meloa que já começava a aparecer na nossa SFG2 🙁 e por isso vamos ter que fazer uma pequena cerca amovível para as manter afastadas das hortas mas mesmo assim poderem comer as ervas a vontade…

O Novo Comedouro das Miúdas…

Desde que temos as miúdas,que usamos o mesmo comedouro, um que foi feito com material reciclado, usando para isso apenas um balde, algumas zipties e um simples prato de um vaso.

Mas se no inicio isto era perfeito, nem grande demais nem pequeno demais, o que tínhamos vindo a reparar é que cada vez dava para menos tempo, a comida que la colocávamos. E estava na hora de optarmos por:

  1. Comprar um Comedouro novo
  2. Fazermos um novo, novamente com materiais que lá tivéssemos por casa. 🙂  – Claro que esta era a solução

E assim fizemos, uma vez que o projecto do Moinho de Vento está parado, por falta de tempo e de orçamento, decidimos utilizar por enquanto o tubo de PVC que íamos usar no moinho. E usamos uma lata velha de bolachas que já serviu para muitas coisas, inclusive guardar as couves antes de serem postas na SFG2 😉

Em primeiro cortamos o tubo a medida de maneira que ficasse um pouco de fora da rede do galinheiro, de maneira a que o abastecimento do mesmo não implicasse ter que abrir a tampa cada vez que quiséssemos abastecer de comida.

Depois cortamos, e aqui não temos fotografia, um corte na diagonal no fundo do tubo para permitir que a ração caia com alguma liberdade para a lata, e as moças possam comer sem problemas. Usamos para fixar a lata ao tubo dois rebites que tinhamos lá, e tivemos que os colocar com uma maquina manual, e deixem que vos diga, as saudades que temos da maquina de rebites de pressão…

Enfim, de volta ao comedouro, usamos depois dois “camarões” que tínhamos la para fazer os suportes que depois foram presos ao galinheiro com duas zipties. Só faltava então abrir um pequeno buraco na rede do topo do galinheiro e estávamos prontos.

O resultado final ficou assim:

Ainda precisa de uns retoques, nomeadamente pintar de branco ou outra cor, fazer o recorte no acrílico que fica por cima do galinheiro e colocar uma tampa que proteja melhor.

O resultado final é muito animador, porque assim se enchermos o comedouro, aguenta bem dois dias com comida, mesmo que elas espalhem muito pelo chão. O antigo durava no máximo meio dia, por isso é mais um projecto de sucesso 😉

Brócolos Desidratados…

No outro dia comprámos brócolos para juntar ao jantar de Egg Noodles com um resto de Vegetais Chineses que tínhamos desidratado logo no inicio da nossa aventura com o Desidratador

Ora bem, aproveitamos para dizer que a re-hidratação dos Vegetais Chineses foi um sucesso, ficaram com o mesmo gosto e com um aspecto delicioso, mas depois falaremos mais nisso, agora voltando ao assunto dos brócolos.

Ora bem, para desidratar brócolos, eles recomendam primeiro que se “cozam” os mesmos em agua a ferver durante dois minutos, evitando assim que os mesmos fiquem com cores estranhas, é só e basicamente por causa do aspecto. E assim fizemos:

Em seguida, aproveitámos que íamos fazer uma “fornada” de coisas para desidratar e colocamos os mesmos no desidratador, não se pode andar a ligar o desidratador só com uma prateleira cheia…

Demorou cerca de 8 horas, e tínhamos os brócolos desidratador e com um tamanho bastante mais reduzido. Agora queremos comprar mais brócolos e desidratar para ficarmos com um frasco bem cheio, e assim termos sempre vegetais frescos em casa.

Nota: Ontem a Faneca juntou ao maravilhoso salmão grelhado que comemos ao jantar os brócolos devidamente hidratados junto com brócolos frescos, e deixem que vos diga que não se notava minimamente a diferença 🙂 por isso, está decidido, vamos continuar a desidratar tudo o que possamos.

Digam lá que não tem bom aspecto 😉

Canning and Preserving For Dummies…

Ok, nós realmente adoramos estes livros, e no seguimento do post Desidratador de Comida… não podiamos deixar de adicionar a nossa biblioteca este excelente livro.

Se for tão elucidativo como são todos os outros deste estilo, num instante estaremos a desidratar e guardar comida com fartura ;)…

Mais um para a secção Leituras for Dummies 😉

Novas Leituras…

No seguimento da nossa ideia de comprar um desidratador de comida para preservarmos os vegetais, o meu tio recomendou-nos este livro para lermos.

Já esta na calha 😉

The Beginner’s Guide to Preserving Food at Home: Easy Techniques for the Freshest Flavors in Jams, Jellies, Pickles, Relishes, Salsas, Sauces, and Frozen and Dried Fruits and Vegetables

Amazon

Temos que começar a por as leituras em dia 😉

Plantar batatas…em baldes…

Ontem metemos um post em que falávamos que em breve teríamos mais um projecto, esse projecto não é nada mais nada menos do que Plantar Batatas num Balde!

Ora bem, mas afinal o que é isto?

É simples, as batatas são tubérculos, certo? e os tubérculos nascem debaixo da terra, ora quanto mais fundo ele estiver mais batatas temos. É tão simples quanto isso 😉


Então o que é que precisamos?

  • Um ou mais baldes de 20 litros ou maior
  • Batatas, de preferência que não sejam do supermercado
  • Composto, se tiverem feito por vocês melhor
  • Barro partido, não vale partirem os vasos lá de casa 😉
  • Agua

Para já vamos reunir os materiais todos e fazer dois baldes. E depois mostramos como fizemos.

Entretanto podem ir vendo os seguintes links:

Este fim de semana se tivermos tempo é mais um assunto que queremos tratar 😉

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...