Kitchen Lights….

Funny thing about old Irish houses is that:

  1. They are not to careful with isolation.
  2. They really don’t care much about economic light bulbs.

So, again, when we moved to this house one more thing needed to be changed.

When we looked at the kitchen ceiling and the hallway, we counted 14 halogen 220V light bulbs, yes 14!!! Now if we do some math we can see that 14x60W=840W, which means that every time we were cooking or just having a snack in the kitchen we would be consuming 480W. Looking at the chart for December 2013:

Screen Shot 2014-05-16 at 08.41.37We can see that we were spending an average of over 10KW/h a day…

We needed to do something fast, and that solution came from our old good friend, eBay

IMG_0842We bought a pack of 15 LED lights (60 SMD Warm White 4W High Power LED Light Bulbs). And we went from 14x60W to 14x4W, now, trust us, this really makes a difference on the electric bill. We have a monitoring solution based on Arduino monitoring our house electric consumption and here is some examples:

Note: When we were measuring these values other things at the house were connected also, this is just to give an idea:

IMG_0838

The hall lights ON with Halogen Bulbs

IMG_0839 After we replaced them with the LED ones…

IMG_0840

The Kitchen with the Halogen Bulbs…

IMG_0841After we replaced the Kitchen with LED ones…

Now, at first sight it may not see much, but look when we look at the daily chart:

Screen Shot 2014-05-16 at 08.53.40Yes, we went from always above the 10KW/h a day to only some days getting closer to it. Now there’s obviously some days that we pass the 10KW/h day mark but if we look at the previous chart it was normal to reach the 15KW/h day mark and on this chart since we changed the bulbs on the January the 2nd it never happened again. coincidence? Maybe, but I’m pretty sure that the small investment made a difference… 😉

And the final result:

photo 1

The Kitchen…

photo 2

The Hallway…

You can’t even notice the difference from the previous bulbs….

Moeda para o carrinho…

Não sei bem porque, mas no Aldi aqui ao pé de casa a moeda para o carrinho são 2 Euros, ora raramente eu ou a Faneca temos moedas, quanto mais moedas de 2 euros.

Mas na nossa última ida lá, a Faneca pergunta-me a assim:

E se imprimisses uma moeda na impressora 3D?

Gaita, e não é que ela tem razão? Coisa tao simples, e tão rápida, bastou apenas 5 minutos a procura no Thingiverse, para rapidamente encontrar: 1 and 2 Euro shoping coin.

Próximo passo, por novamente a impressora a trabalhar uma vez que já não era usada há mais de 3 meses, colocar filamento, substituir algumas pecas, etc etc.

E 10 minutos depois, pumbas…

coins

Tínhamos duas moedas de 1 e de 2 euros para por no porta chaves. Ai, se eu tivesse uma impressora 3D quando andava de carrinhos de choque 😉

Nota:  Cá por estas bandas eles não dão as moedas de plástico no supermercado, acho que ainda não chegou cá essa moda.

E ainda aproveitamos que tínhamos a impressora ligada e imprimimos mais uns ganchos para pendurar coisas na barra do Ikea na cozinha.

gancho

O funil e o medidor de esparguete já tinham sido impressos noutra altura.

 

 

Greg Grant and Linda Vigil…

Queremos partilhar aqui mais um documentário sobre um casal que decidiu comprar 20 acres de terreno (+/- 0.080km2) em Montana USA, e construir la a sua casa e viver tal como tantos outros “Off the Grid”. Actualmente teem inclusive o seu estúdio de gravação de musica na mesma casa.

O documentário mostra a construção da casa e algumas das técnicas que eles empregaram para construir a mesma.

Se puderem percam uns 60 minutos separados por estes 6 vídeos de +/- 10 minutos cada.

Ainda por aqui andamos…

Apesar de não termos colocado posts aqui ultimamente a realidade é que ainda por aqui andamos.

Simplesmente e devido à época de prevenção aos incêndios de 2011 ter sido prolongada continuamos com o tempo muito reduzido.

Mas temos continuado a produzir algumas coisas 🙂

Fiquem por ai que em breve teremos novidades.

Obrigado por não desistirem de nós.

Guardar as Nossas Sementes…

Desde o inicio dos tempos que o Homem sempre aproveitou as sementes de alguns dos alimentos que cultivava para no ano seguinte poder plantar novamente. Chama-se a isso Manter a Espécie, ok não sabemos se é assim que se chama, mas pelo menos é assim que lhe queremos chamar.

Antes de continuar, vamos apenas fazer uma pequena introdução de como as coisas estão hoje, no que respeita a Guardar as Sementes. Que se saiba, em Portugal ainda não sofremos do mal de leis contra guardar sementes, a não ser que usemos sementes de uma e determinada corporação que defende a “patente” de um determinado tipo de sementes! Espera, o que?!?! Yep, é isso mesmo, aparentemente hoje em dia em certo locais é proibido guardar as sementes para o ano que vem, sendo que algumas chegam até a ser modificadas geneticamente para não darem para plantar no ano seguinte…

Mais uma vez perguntamos: Onde é que vamos parar??

Fica este pequeno excerto do Filme que já aqui falei que devia ser visto por muita gente que é o Food, Inc. e onde fala realmente de um homem nos USA que a foi processado por guardar sementes:

Mas voltando a PT, por enquanto e que saibamos, ainda não há nada que nos impeça de guardar as sementes dos produtos que nascem na nossa horta, e no outro dia após um comentário de um dos nossos leitores decidimos que estava na hora de Aprendermos a Guardar as Nossas Sementes, é um facto que por enquanto vamos tendo o nosso patrocinador (Semenclasse) mas e depois? Como sempre ouvi dizer, o conhecimento não ocupa lugar, por isso vamos a isto. Ainda não temos muito para falar de como o fazer, mas sabemos que alguns produtos não é fácil, nomeadamente as alfaces. Encontrámos este pequeno site, com vídeos muito bons de como guardar sementes de alface, tomate, grão, entre outras. Deem uma olhadela que nós também já o estamos a fazer.

E mais uns links:

Depois daremos mais pormenores conforme formos guardando as sementes 🙂 e claro que não podia deixar de ser, sai mais uma categoria na secção DIY…

King Corn – The Movie

Sem duvida mais um filme a ver…

King Corn is a humorous and touching documentary about two best friends who decide to move to Iowa to grow an acre of corn – after finding out (through laboratory hair analysis) that their bodies were made primarily out of….corn.  But this is not your typical buddy picture.  While it does trace a year in the life of two friends, the film is really about the history of corn in modern America and the filmmakers’ relationship with the crop they’ve decided to grow.

Este no âmbito um pouco diferente do que costumamos falar, mas mesmo assim dá que pensar, explica efectivamente o que é o milho e para que é usado hoje em dia.. Digamos que o milho hoje em dia está em todo o lado.

Se tiverem oportunidade vejam, podem ver inclusive em 6 partes de 15 minutos cada no Youtube.

Fica o trailer:

E a primeira parte do filme completo no Yutube:

Food, Inc aka Comida, SA

O que vos podemos dizer para já além do clássico, nunca mais irão olhar para a comida da mesma maneira, é:

  • A comida em Portugal ainda não está assim tão mal como nós nos queixamos…
  • Cá ainda se podem guardar sementes do que plantamos, sem sermos processados…
  • Um Kg de Peras nos USA é mais caro do que quatro garrafas de litro e meio de Pepsi…
  • Sabiam que em certas partes dos USA é proibido por lei falar mal da carne que comem??

E isto são apenas 4 tópicos dos quais o filme fala bastante, já sem falar como as vacas, as galinhas e os porcos são criados.

Não queremos dizer com isto que vamos deixar de comer carne, simplesmente achamos que é um filme que merece a pena ver.

Por vezes quando nos queixamos que não comemos vegetais, a realidade é que em Portugal ainda vamos conseguindo comprar vegetais mais baratos do que um kg de carne, uma alface pode custar 1€, sim pode não ser das melhores, e até pode vir carregada de produto, mas ei, pelo menos temos possibilidade de a comprar…

Para combater o produto podemos sempre planta-las que é o nosso caso, e guardar sementes para mais tarde continuar a plantar. Claro que para podermos guardar sementes temos que comprar alfaces que não sejam modificadas geneticamente para serem estéreis. Na Índia, tem havido uma grande quantidade de suicídios entre os agricultores mais pobres devido a processos instaurados por empresas de sementes que as modificam não permitindo assim que se repliquem… estranho não é?

A pergunta é: Para onde estamos a caminhar???

Ficam alguns links:

E o trailer do Filme:

Enfim… pensem nisso que nós já estamos a fazer o mesmo…

Soil Block Maker…

Ein??, mas afinal o que é isto de um Soil Block Maker?

Não é nada mais nada menos do que mais uma alternativa ao clássico bocado de plástico ou esferovite com buracos para plantar sementes.

A técnica consiste em fazer pequenos blocos de terra, onde são colocadas sementes para germinar, em seguida colocam-se esses blocos de terra ou em vasos ou em blocos maiores, poupando assim a necessidade de termos um “germinador”, as sementes crescem melhor e criam melhores raízes devido a não estarem compactadas dentro de um espaço pequeno.

Vejam o vídeo de como aquilo é usado:

Uma das partes mais importante é o tipo de terra a usar, tem que ser uma pasta e não terra totalmente seca ou extremamente húmida (Vejam aqui).

Agora o problema surge porque esta solução é um pouco cara, encontra-se à venda online por valores entre $29USD e $34USD.

Claro, que como poupados que somos ja andámos a procura e encontramos vários sites a ensinar a fazer o seu próprio Soil Block Maker:

E outros que por ai se encontram… nós vamos tentar fazer as duas medidas uma mais pequena uma maiorzita, porque não queremos estar a comprar vasos 😉

Praying Mantis aka Louva-a-Deus…

No domingo, quando andávamos a fazer a inspecção das árvores a procura de novos frutos deparamos-nos com este rapaz calmamente a observar o quintal…

Imediatamente tirei esta foto com o telemóvel e apresei-me a, calmamente, encaminha-lo para a árvore mais próxima, sem que a Faneca se apercebesse de que ele por ali andava, é que ela morre de pânico de certos e determinados bichos, hei, eu não a condeno, até porque eu tenho pavor de aranhas, sejam elas pequenas ou grandes….

Mas e perguntam vocês porque é que não o enxotei para mais longe? Simples, é que já tínhamos lido em qualquer lado que estes animais são bastante úteis no que diz respeito ao jardim e à horta, especialmente porque comem as moscas e os parasitas do jardim…e podémos confirmar as nossas suspeitas:

(…)A sua voracidade leva a que sejam considerados muito bem vindos pelos amantes da jardinagem e agricultura biológica, uma vez que, na ausência de pesticidas, são um fator importante no controlo de pragas de jardim.(…)

Informação tirada da wiki – Wikipedia

Por isso a próxima vez que virem um destes la pelo quintal antes de o matarem, pensem bem se não fará jeito para comer as moscas irritantes 😉 nos até já pensamos amestrar um e meter ao pe de nos quando estamos a almoçar no quintal para nos dar uma ajuda com o mosquedo 😉

Nota: Se apanharem algum ai por casa avisem que nos ficamos com ele para nos ajudar lá no quintal 🙂

Homegrown Revolution (Award winning short-film 2009)

O filme da Família Dervaes que todos deviam ver e inspirar-se…

Em Portugal em tempos também se fez isto e muito, alias, quem me ensinou parte das coisas que sei do campo foram os meus pais, que tiveram galinhas, patos, codornizes, etc, etc… mas a realidade é que a vontade de cultivar algo para comer se perdeu no tempo, e hoje em dia ter um quintal que produza qualquer coisa é algo mais de “moda” do que propriamente de vontade e gosto, e podemos ate ser olhados de maneira diferente pelos vizinhos felizmente os nossos vizinhos ate acham engraçado a maneira como nós somos e como  levamos a vida…;)

Ficam com estas palavras e com o vídeo de 15 minutos que merece muito a pena.

Thanks Dervaes family for a very inspirational video, and glad you shared it.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...