O Composto das Galinhas…

No passado dia 14/06/2011 mencionamos aqui que íamos começar a usar a técnica de deep litter no nosso galinheiro, não só porque evitava problemas de saúde para as miúdas como ajudava a fazer mais composto. Isto entre outras razões.

Agora o que nós não sabíamos, e apesar de já termos lido sobre isso não queríamos acreditar, era que aquilo realmente decompunha a palha assim tão rapidamente. O que vos podemos dizer é que normalmente de 15 em 15 dias adicionamos mais uma camada de palha, para que as miúdas possam andar por la a bicar a vontade e porque sempre lhes da mais algum conforto, e reparem so o aspecto que tem a terra que está no fundo do nosso galinheiro.

E não tem bom aspecto? Isto é composto por, ração, milho, palha, terra, restos de vegetais, e muito mas mesmo muita M#!”# de galinha, ou seja tudo o que um bom composto precisa para dar nutrientes aos nossos vegetais. E tudo seco e sem qualquer odor.

Agora se pensarmos que no espaço de 2 semanas a palha inteira fica com este aspecto, podemos concluir efectivamente que:

O Composto Acontece mesmo…

Por isso, vamos continuar a usar esta técnica e quando fizer 6 meses removemos todo o composto gerado, e começamos de novo, que as miúdas fazem o trabalho necessário.

A Nossa Compostagem…em 2011/08/03

A ultima vez que falámos na nossa caixa de Compostagem, foi em 28/04/2011, ou seja à 4 meses, o que é efectivamente muito tempo.

O que podemos dizer sobre estes 4 meses, é que é muito fácil e rápido de nos habituarmos a fazer compostagem, não passa nada que possa servir para a compostagem que vá para o lixo comum directamente.

No inicio tivemos algumas dificuldades em acertar com as doses de Castanhos vs Verdes, mas assim que acertámos com a dose certa e com a humidade certa, aquilo decompoe que é uma maravilha.

Normalmente estamos a colocar dentro da caixa de compostagem uma média de um destes contentores por semana e ainda nao conseguimos que o contentor grande passe de meio, alias, conseguimos, mas apenas quando pedimos à minha mãe que nos dispense um saco de relva do quintal dela, que é perfeito porque trás mistura de relva e folhas secas, normalmente já nas quantidades certas.

Este é o aspecto que tem actualmente o topo da caixa, que esta pouco abaixo do meio.

Quando colocámos esta ultima dose de relva estava a menos de 1/4, ora se contabilizarmos 1 mini contentor por semana em 4 meses temos qualquer coisa como como 16 contentores de restos de cozinha, com mais ou menos um a dois quilos por contentor. Sim, não parece muito, mas se a isto juntarmos a relva, folhas secas, restos de palha, restos de serradura do dormitório das miúdas, e mais coisas que se possam por para lá para fazer o balanço de Castanhos/Verdes, é muito composto.

Não tirámos foto, mas vamos tirar em breve, do que esta por baixo desta camada verde/castanha o que é uma bela terra escura com um aroma a terra muito suave. Claro que pelo meio encontram-se ainda algumas cascas de ovo, algumas laranjas semi inteiras e isto porque não temos paciência nem tempo para as cortar em bocados pequenos antes de mandar para dentro do composto, o que aceleraria ainda mais o processo.

No inicio haviam alguns pontos que tínhamos medo que não estivessem correctos no manual, mas que afinal são mesmo verdade e podemos concluir que efectivamente o composto:

  • Não deita qualquer cheiro desagradável (desde que bem feito)
  • Não atrai bichos que não sejam naturais a uma caixa de compostagem (gatos, cães, e por ai fora)
  • Reduz substancialmente a quantidade de sacos de lixo que mandamos para o contentor geral.
  • Entre outros.

Por isso o que podemos aconselhar é que se tiverem hipótese e queiram usar boa terra nas vossas hortas, façam uma caixa de compostagem 🙂

O Nosso Compost Tea…

Já foi há coisa de duas semanas que o fizemos e aplicámos nas nossas SFG’s, mas só agora tivemos tempo de reunir as fotografias e descrever um pouco o processo.

Então pelo que tínhamos escrito no post Compost Tea as coisas necessárias para fazer Chá de Composto são:

  • Um balde (18 litros pelo menos)
  • Um bocado de composto (nas quantidade correctas)
  • Agua (preferencialmente da chuva)

Ora bem, nós tínhamos tudo menos a água da chuva, mas tínhamos lá um garrafão de agua que já tinha mais de uma semana, por isso já não tinha cloro, logo era perfeita. Coincidência ou não, nesse dia depois de começarmos a fazer o Chá de Composto começou a chover e conseguimos mais um balde de água, o qual usamos para fazer ainda mais chá. 🙂

Mas vamos ao processo:

Para colocar o composto dentro de água usámos uma velha meia de vidro com bocados de composto que tirámos do nosso contentor de composto, há quem coloque directamente, mas depois implica “filtrar” a água antes de deitar na terra, por isso achámos que assim era mais simples. Colocámos tudo dentro do balde e pendurámos a “meia” é importante que não fique nenhum dos lados encostado nem ao fundo nem as paredes do balde, porque assim a água circula por todo o lado.

Usamos duas bombas, uma para gerar as bolhas de oxigénio, que é a que se vê na foto e outra, que é um velho filtro de aquário, sem o filtro, para fazer circular a agua dentro do balde.

E pronto, basicamente foi deixar isto a “marinar” durante 3 ou 4 dias, pensamos que não é preciso tanto tempo, mas como não tínhamos a bomba para circular a água logo de inicio, quisemos deixar mais 1 dia, just in case.

Depois dos 4 dias a “marinar” desligamos tudo e tinha um aroma que segundo o que lemos é o correcto, ou seja, cheirava a terra molhada, tipo assim quando caem as primeiras chuvas :). (Se cheirar a podre, deitem fora e comecem de novo)

Em seguida foi só pegar no balde e literalmente ir entornando o chá de composto por cima das plantas, aproveitando não só para regar as raízes como mandar algum chá para as folhas.

Há ainda outros sites que dizem para usarmos isto em 10 para 1 ou seja 10 doses de água para 1 de chá, mas como outros dizem para aplicar directamente, olha, arriscámos e metemos directamente.

Conclusões:

  • Coincidência ou não, os morangos que estão a nascer agora são bem maiores que os primeiros que tivemos :).
  • Dizem para, opcionalmente, adicionar melaço sem dióxido de enxofre, mas como infelizmente não conseguimos arranjar sem o dióxido de enxofre optamos por não colocar o melaço.
  • Para a próxima queremos fazer em mais quantidade e talvez usar um regador para a agua sair mais dispersa e ser melhor aproveitada.
  • Isto pode ser aplicado de duas em duas semanas, mas nós vamos para já aplicar uma vez por mês. E vamos vendo como corre.

Mais um projecto 😉 em termos de chás, falta-nos agora experimentar o Nettle Tea aka Cha de Urtigas.

Deep Liter – Galinheiro…

Já em vários posts falamos que estávamos a tentar usar no nosso galinheiro a técnica de Deep Litter, não sabemos qual é a tradução para português.

Decidimos fazer isto inicialmente pelo facto de que o nosso contentor de compostagem estava a ficar cheio e não estava a dar “andamento” a decompor palha de um galinheiro que todas as semanas era limpo.

Mas depois de lermos um pouco ficamos a saber que alem de fazermos composto directamente no galinheiro, ainda é bem mais saudavél para as miudas este tipo de técnica do que mudar a palha todas as semanas. 🙂 por isso é sempre a ganhar.

Então e no que consiste esta técnica?

Deep Litter

Deep litter is weird stuff. It’s different from a big heap of shaving or a compost pile with chickens living on the top of it. It’s worth looking at in some detail. Got your spading fork ready? (…)

— via Robert Plamondon’s Poultry Pages

Vejam o link, onde explica tudo muito bem, mas reduzindo um pouco o texto, consiste em ir adicionando camadas de palha/serradura/o que usarem para forrar o chão do vosso galinheiro. No nosso caso usamos palha, porque sai mais barato, o inconveniente de usar palha é que aparentemente retém muita humidade e tem que ser virada mais vezes.

Depois as galinhas que ate sao um animal que CA#$!GA que se farta, fazem em cima da palha e pronto, temos um verdadeiro centro de compostagem 😉

Mas claro que não é só isto, também tem muitas vantagem em termos de saúde para as galinhas, em termos de manutenção do galinheiro e também em termos de cheiros, sendo que desde que começamos a fazer esta tecnica o cheiro reduziu para quase 0. A única manutenção que fazemos é diariamente mandar para o chão bocados de milho/sementes/ração, para as incentivar a revolver o chão em busca de alimento, e deviam ver aquelas miúdas a cavar para encontrar comida, é um fartote ;). Depois semanalmente adicionamos um pouco de palha seca para manter o chão seco, mas passados 5 minutos da palha seca ter sido colocada já elas a revolveram toda e começam o processo de cavar novamente…

Para já estamos muito satisfeitos com esta técnica. Dentro da capoeira (zona de dormir e por ovos) continuamos a limpar duas vezes por semana, porque não temos espaço em altura para fazer esta técnica.

Fica um link em que explica muito bem tudo sobre Deep Litter:

E um post no BackYardChickens.com:

Mais uma vez esta ideia surgiu porque o vimos a ser usado pelos Dervaes com os seus animais. 🙂

Vermicompostagem…

Espera, o que??

Sim isso mesmo que leram vermi vem de vermes(minhocas) e compostagem, bem isso já todos sabem o que é..

A realidade é que neste momento temos 2 tipos de composto lá por casa, temos em primeiro lugar a nossa Grande Caixa de Compostagem e recentemente começamos a tentar uma nova técnica que é a de Deep Litter no galinheiro, em que são as galinhas que fazem a compostagem natural da palha, depois falaremos melhor sobre isto num outro post.

Mas como a Grande Caixa de Compostagem está quase a meio e a das galinhas não da para por restos da cozinha, decidimos tentar um novo método, que é mais rápido e pode ser feito a escala mais pequena, e claro é sempre um novo projecto para os Fanecos 🙂

Em vermicompostagem, o vermicomposto ou lombricomposto é o resultado do metabolismo e consequentes excrementos das minhocas (vermicast), ricos em nutrientes e fauna microbiana e de resíduos de matéria orgânica não decomposta considerando-se um substrato de elevada estabilidade.
O vermicomposto melhora as propriedades químicas, físicas e biológicas do solo, possibilitando a melhoria das suas características, nomeadamente aumentando da sua fertilidade e consequente produtividade devido ao aumento da capacidade de retenção ou circulação de água e aumento da capacidade de retenção de nutrientes.

via Futuramb

Entretanto ja contactamos os Srs. da Futuramb que nos responderam muito rapidamente, e vamos agora proceder a montagem do Vermicompostor para mais tarde mandarmos vir as nossas minhocas trabalhadoras 😉

Para já vamos começar com um kit de 225 minhocas(450g) que conseguem “devorar” cerca de 100g a 125g de resíduos por dia. Depois logo se vê.

Para montar o compostador vamos usar caixas que deem para empilhar e fazer algo assim deste género:

E para isso vamos a procura ou no Chinês lá ao pé de casa ou ao Ikea que tem umas caixas que são perfeitas para isto e baratas 😉

Nos em principio vamos usar este DIY:

Também podem fazer Vermicompostores que nao sejam de empilhar, funciona na mesma, mas convém sempre ter furos no fundo por causa dos líquidos que vão saindo que por sinal são excelentes para depois regar os vegetais, é mais uma forma de Compost Tea.

E ficam, como sempre alguns links:

E um ou dois vídeos:

Nettle Tea…

No seguimento do post de ontem Compost Tea, eis que encontrámos mais uma soluçao, organica e desta vez para aumentar o nivel de nitrogeneo na terra naturalmente. E como é que vamos fazer isso?

Simples…confessamos que não queríamos acreditar, mas sim Nettle é urtiga por isso vamos fazer uma especie de chá de urtigas para colocar nas raízes das plantas ou simplesmente colocar por cima do composto que já temos a fazer à algum tempo.

Nota: antes de continuarmos convém mencionar que o que lemos é que esta mistela, poderá ter um cheiro um pouco desagradável, por isso antes de a fazerem escolham bem o sito onde a colocar.

Então e como fazer:

  • Balde de 18 litros
  • Urtigas com fartura
  • Agua da chuva

Com ajuda de um pau ou assim “esmigalhar” as ervas dentro do balde de agua e depois deixar durante 2 a 4 semanas tentando dar-lhe uma volta todos os dias. Quando está pronto, deitar para cima do composto numa solução de 1(porções de chá)-10(porções de agua), ou então directamente nas raízes ou na terra para plantação.

Esta receita é Francesa, e aparentemente os franceses usam as urtigas para fazer quase tudo, desde medicamentos, a omeletes, etc, etc…

Ficam alguns excertos com os respectivos links.

(…)But more germane to the gardener, purin d’ortie, which is best translated as a concentrated tea of nettles, is the most popular organic fertilizer. Jugs of the stuff are industrially prepared and for sale in every garden center. Even nonorganic gardeners here are partial to using it.(…)

French Gardening

Back to the case of nettles. Nettles fertilizer is so effective that it’s probably better than anything you can buy at the garden store. But it has so many more uses. How do people love nettles? Let them count the ways: 1) Dilute your nettles fertilizer “tea” and spray it on your plants for a safe insecticide that knows how to get rid of the bad bugs and keep the good ones (especially good for veggies like tomatoes); 2) If sprayed, it will also be a foliar fertilizer rich in iron, vitamin C, nitrogen, beta-carotene, B complex vitamins, phosphorous potassium, oligoelements, enzymes, chlorophyll, magnesium, calcium, silica, iodine, and amino acids. You can also enrich the soil by directly watering the ground around your plants; 3) The diluted fertilizer is known to stimulate your plants immune system, building their resilience to diseases and insects; 4) Undiluted nettles tea is a very impressive natural weed killer that will not harm your health, the soil or the environment; 4) Nettles leaves are also a great addition to the compost heap being rich in nitrogen they provide the fuel for the bacteria to accelerate the break down of the more “brown” compost; 5) Dry the nettles leaves to make an infusion tea that will give you an iron boost if you’re feeling run down. This tea is also a safe, gentle diuretic—considered restorative for the kidneys and bladder, and used for cystitis and nephritis. 6) As an expectorant, it’s recommended for asthma, mucus conditions of the lungs, and chronic coughs. Nettle tincture is also used for flu, colds, bronchitis and pneumonia; 7) Nettles are a traditional food for people with allergies as they are filled with formic acid, histamine, acetylcholine, serotonin (5-hydroxytryptamine), plus unknown compounds; 8.) Nettle tea compress or finely powdered dried nettles are also good for wounds, cuts, stings, and burns; 9) Other uses include treating gout, glandular diseases, poor circulation, enlarged spleen, diarrhea, and dysentery, worms, intestinal and colon disorders, and hemorrhoids. 10) Eating nettles or drinking the tea makes your hair brighter, thicker and shinier, and makes your skin clearer and healthier—good for eczema and other skin conditions.

Why Travel to France

E pronto, já temos mais um projecto, mas temos que escolher bem o sitio onde vamos colocar a “mistela” senão os vizinhos correm com a gente de vez 😉

Compost Tea aka Chá de Composto…

Ora bem, como já falamos anteriormente, temos no quintal uma caixa de compostagem… e podemos dizer que até agora está a corre bem.

Não tem qualquer tipo de cheiro, acreditem que se tivesse a Faneca ja se tinha queixado ;), e não começaram a aparecer bichos esquisitos lá pelo quintal…

Claro que não correu logo bem de inicio, mas isso vamos deixar para outro post, neste queremos mesmo é falar de Compost Tea. Mas afinal o que é isto de compost tea?

Compost tea

Compost tea is a liquid solution or suspension made by steeping compost in water. It is used as both a fertilizer and in attempts to prevent plant diseases.[18] The liquid is applied as a spray to non-edible plant parts such as seedlings, or as a soil-drench (root dip), or as a surface spray to reduce incidence of harmful phytopathogenic fungi in the phyllosphere.[19] Totally Green produces the ORCA Green Machine which allows governments, universities and commercial institutions to employ this aerobic method of composting to presorted organic waste.

Via Wikipedia mais uma vez não encontrei uma definição em português que me agradasse, mas vou tentar então explicar.

Compost tea também conhecido por Chá de Composto, não é nada mais nada menos do que uma fertilizante liquido feito a partir de água da chuva(preferencialmente) e composto, sim pode-se usar parte do composto que temos na caixa e depois volta a meter lá para dentro outra vez.

E como se faz? Ainda mais simples:

  • Um balde (18 litros pelo menos)
  • Um bocado de composto (nas quantidade correctas)
  • Agua (preferencialmente da chuva)

E mais nada. Depois é so deixar a sombra durante aproximadamente uma semana mexendo pelo menos duas vezes por dia, e ao fim de uma semana passa-se por um filtro, uma t-shirt de algodão velha serve. Em seguida usando em quantidades de 10(agua) para 1(compost tea) coloca-se nas raizes das plantas ou então se for de manhã pode-se pulverizar as folhas.

Simples não? 😉

Ficam alguns links:

Hoje já vamos começar a fazer isto…

Caixa – Vegetais – Compostagem…

Quando compramos a caixa de compostagem decidimos aderir ao processo completo da coisa e para isso tínhamos que começar a aproveitar os restos da cozinha.

Ora bem, o processo que estamos a falar tem duas grandes vantagens:

  1. Amigos do ambiente
  2. Melhora o tipo de composto que sai da caixa de compostagem…

Quando falamos em aproveitar os restos da cozinha estamos a falar de:

  • Filtros de café depois do café tirado
  • Molhos e condimentos
  • Caroços de Fruta
  • Maçarocas de milho
  • Flores velhas ou os caules cortados
  • Cascas de Ovo
  • Cascas de Fruta
  • Nozes e afiliados
  • Cascas de Ameijoas
  • Pão com bolor
  • Chá e sacos de chá
  • Vegetais diversos

Resumidamente, até porque se quiserem saber mais o melhor é lerem este livro, o que temos que fazer é ter sempre ao lado de onde estamos a preparar a comida um pequeno recipiente que regularmente despejamos no contentor de compostagem.

Nós estamos a usar uma caixa que compramos no ikea por mais ou menos 2€ e que serve muito bem, não veda totalmente por isso não cria cheiros e não dá trabalho a abrir,  alem disso como não é suposto o conteúdo ficar la muito tempo não há problema. Um destes dá-nos mais ou menos para uma semana ou um fim de semana se os piratas estiverem lá em casa.

Quando está cheio é só pegar nele e despejar no contentor grande de compostagem, sempre tendo em atenção a relação Nitrogénio/Carbono, sendo que o Nitrogénio são os restos e o Carbono os secos, como palha ou folhas secas.

Para isso abrimos um buraco no meio do composto que já temos e metemos para lá isto tudo, depois fechamos e cobrimos com palha, porque não temos muitas folhas secas pelo quintal.

Já estamos a fazer isto a 2 semanas, mais ou menos, e não temos qualquer cheiro no quintal. Todos os dias verificamos abrindo a tampa e verificando se esta quente o conteúdo e se tem qualquer tipo de cheiro, até porque através do cheiro consegue-se perceber se precisa de mais Carbono ou mais Nitrogénio.

Aproveitamos também quando colocamos nova “dose” de verdes para revolver o composto, fazendo assim com que a parte quente do interior passe para fora e volte a aquecer por dentro, deixando assim entrar ar para o composto e não dando origem ao apodrecimento em vez da decomposição.

É mais fácil do que parece, nós próprios não acreditávamos que fosse assim tão fácil, mas realmente se se tiver um pouco de atenção nas doses que se usam é mesmo muito fácil.

Composting for Dummies…

Com tanta coisa para fazer e cada vez mais livros para ler, vamos precisar de mais do que 24 horas num dia, aqui fica mais um que acrescentámos à nossa “extensa” lista de livros a ler.

Este efectivamente não podia falhar na secção de For Dummies.

Estes livros são do melhor para aprender. É incrível como eles simplificam as coisas, e normalmente demoramos muito pouco tempo a lê-los.

São livros que lemos em 2 ou 3 viagens de barco Barreiro-Lisboa e usamos posteriormente para consulta.

Temos compostagem…

No post  Fertilizante orgânico – Composting tínhamos mencionado e citamos:

Pensamos que o que nos impedirá efectivamente de fazer este projecto e para grande pena nossa é sem duvida o espaço…

Mas, eis que graças a um comentário do Santos466 no post acima ficámos a saber que iria haver uma promoção de caixas de compostagem por uns módicos 29.99€ no lidl, ora se um dos principais factores de não termos uma caixa de compostagem era o espaço, o maior ainda era o preço que varia normalmente entre 49€ a 69€ nas grandes superfícies.

Por isso no dia 25 de Abril, segunda feira logo as 9:00 lá fomos ao lidl perto de nós para comprar a caixa, felizmente quando chegamos ainda haviam duas caixas, mas quando vínhamos embora já não havia nenhuma.

Estamos satisfeitos com a caixa e foi muito fácil de montar, para nós o único senão é que é muito grande, por isso tivemos que a colocar não na parte de trás do quintal mas sim na parte da frente, e achamos sinceramente que até ficou muito bem 🙂

Actualmente a caixa ja está cheia até meio com relva e folhas secas que a minha mãe cortou do quintal dela. Por enquanto não tem cheiro, a não ser um pequeno aroma a limões/relva/folhas destruídas por uma maquina de cortar relva.

Ainda não começámos a juntar restos de vegetais e fruta, mas antes de o fazermos ainda vamos arranjar mais folhas secas porque é a solução para não deitar cheiro. Uma vez que ficou perto do quintal do vizinho e ainda por cima à frente, teremos que ter muito cuidado com cheiros. Vamos também usar palha para criar uma pequena camada enquanto não tivermos uma quantidade enorme de folhas.

Entretanto encontrámos mais uns links sobre compostagem:

Vamos ver como corre, e se tudo correr bem em breve teremos adubo do melhor e acima de tudo a custo 0€ 😉

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...